FANDOM


lveWikiEsboço Esboço
Esta página é considerada um esboço pelo editor. Existem dois motivos para isto:
- Informações podem estar faltando, ou elas não estão confirmadas e com referência ou o último editor não à considerou como tendo informações básicas suficiente.
- Erros de gramática podem ser encontrados, sendo necessário uma revisão.

WikiAviso Todas as informações sobre este planeta são consideradas desatualizadas, uma vez que são da época de lançamento do primeiro jogo, StarCraft II: Wings of Liberty. Com o lançamento das campanhas seguintes (Heart of the Swarm e Legacy of the Void) e do pacote de missões, acontecimentos importantes desenvolveram à história da franquia a ponto de o planeta e suas característica terem sido alterados. A versão da wiki em inglês oferece informações sobre tais acontecimentos para quem esteja interessado nesse primeiro momento.

Tarsonis era o planeta que servia de base a Nagglfar, supertransportadora gigante, uma das quatro naves colonizadoras que levaram terranos para o setor Koprulu. Nagglfar liderava a flotilha e transportava o supercomputador ATLAS, que havia controlado as quatro embarcações em sua viagem de vinte e oito anos. Mesmo com diversas falhas críticas, o ATLAS cumpriu um papel vital no sentido de ajudar os novos habitantes de Tarsonis a se estabelecerem.

As bases tecnológicas das colônias fundadas depois do pouso das outras naves em Moria e Umoja estavam sempre um passo atrás das de Tarsonis. (A quarta nave foi perdida com todos os passageiros quando tentava pousar). Sessenta anos depois, quando as colônias fizeram contato umas com as outras, Tarsonis era a mais avançada e próspera entre elas.

As três se espalharam para outros mundos e desenvolveram suas próprias economias autossustentáveis, e, a princípio, Tarsonis defendeu um governo conglomerado. Diante da provável preeminência que Tarsonis ganharia com um acordo do tipo, Moria e Umoja prontamente recusaram. Em resposta, as famílias governantes de Tarsonis expandiram suas forças militares e colonizaram de forma ainda mais agressiva, formando a Confederação Terrana e terminando por entrar em conflito com os Morianos na Guerra das Guildas. Após quase quatro anos de uma guerra brutal, os Confederados declararam vitória, "negociando" a paz com a União Kelmoriana. O resultado da guerra assegurou a posição da Confederação como uma grande potência no setor – com Tarsonis como centro de seu governo e economia. Em teoria, cada planeta Confederado tem seus próprios senadores, mas, na prática, a Confederação era governada a partir da fervilhante Cidade de Tarsonis, a capital planetária de Tarsonis.

Por ser um planeta temperado, os terranos se expandiram rapidamente por Tarsonis, estabelecendo cidades e indústrias em boa parte da sua superfície. No auge do poder da Confederação, grandes quantidades de dinheiro e materiais eram enviadas diariamente das colônias. O boom econômico do planeta ofuscava o de todos os outros mundos terranos do setor Koprulu, e a população de Tarsonis crescia exponencialmente. O governo dinástico se tornou cada vez mais avarento e corrupto, expandindo sua fortuna pessoal e ansiando por mais. Quando a divisão entre ricos e pobres chegou ao limite, descontentamento e rebeliões incendiaram os planetas da Confederação. As famílias governantes responderam com medidas cada vez mais violentas, tentando manter as colônias sob controle, o que culminou na destruição nuclear de Korhal IV quando este tentou se separar do governo Confederado.

Os protestos causados pela destruição de Korhal plantaram as sementes da derrocada final da Confederação. Arcturus Mengsk reuniu os Filhos de Korhal e, à frente da organização terrorista, iniciou uma rebelião interplanetária. Quando a invasão zerg chegou, a Confederação já lutava para se manter viva; quando o Enxame desceu no espaço Terrano, os Filhos de Korhal aproveitaram para desferir o golpe de misericórdia. Mesmo com o combate feroz, Tarsonis foi tomado e completamente devastado pelos zergs. Estima-se que dois bilhões de pessoas tenham morrido. Pouco depois, os zergs abandonaram o planeta por razões desconhecidas.

Com o fim da invasão zerg, os Filhos de Korhal reuniram os restos da Confederação para formar a Supremacia Terrana, liderada pelo Imperador Arcturus Mengsk. Refugiados de Tarsonis foram absorvidos por outras colônias, e o planeta propriamente dito não foi recolonizado. A Supremacia Terrana impôs uma quarentena rigorosa sobre Tarsonis, enquanto as equipes de recuperação da Supremacia vasculham os destroços em busca de tecnologias Confederadas e segredos militares que tenham resistido ao ataque. A despeito de tudo, o Imperador Mengsk fez uma promessa aos refugiados dispersos desse mundo, outrora vibrante: Tarsonis será restaurado, e a Supremacia ajudará a conduzi-lo rumo a um futuro melhor.

Dados do PlanetaEditar

População: 7.000 terranos, zergs desconhecidos

Fidelidade: Independente

Diâmetro/Gravidade: 8.894 km; 0,96 padrão

Inclinação Axial/Clima: 5,6 graus; +/- 24º Centígrados, baixa umidade

Geografia/Assentamentos: 2 oceanos, 7 mares/grandes lagos internos, 1 grande continente; 12 grandes conurbações (destruídas), 1.572 distritos residenciais (destruídos), 875 zonas industriais (destruídas)

Lua: 4 – Orson, Worthing, Treason, Ender (várias cores, todas de pequeno tamanho, >1.250 km de diâmetro)

Terreno Dominante: Terra desertificada/ruínas

Formas de Vida Dominantes: Terrano, zerg

Formas de Vida Indígena: (após a invasão zerg, não se sabe quantas dessas formas de vida sobreviveram): lagarto Urchin, pássaro da vida, morcal, escantídeo

Importações: Pessoal, alimento, água, dispositivos de varredura, recuperar equipamento

Exportações: Destroços recuperados, tecnologia recuperada, metais preciosos

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.